Carma · Iluminação · Salvação

Por que o Planeta Terra é tão denso?

Se você é um buscador das coisas espirituais e energéticas, em algum momento já se perguntou “Por que o Planeta Terra é tão denso?“. Há momentos na vida em que olhamos ao redor e só vemos coisas ruins, a maldade no ser humano se manifesta de forma muito intensa; todos parecem interesseiros, egoístas, mesquinhos, e até mesmo sem graça.

Isto gera muita tristeza e frustração. Como se interessar por viver em um ambiente assim? Eu mesma me perguntei, várias vezes, onde eu me encaixava nisso tudo, olhava para o céu buscando saber quando seria resgatada deste mundo terrível. E então, depois de muito tempo com estas angústias, conhecendo mais sobre o ser humano, a capacidade mental e a bioenergia, comecei a perceber o que realmente estava acontecendo.

Esta era a minha visão do mundo. Esta era a minha forma de ver o planeta terra e o ser humano. Mas não é tão simples assim, pois o que eu vejo se manifesta e assim reforça o que eu acredito, se tornando uma força automática que nutre constantemente essa visão dolorosa e sombria das coisas. Além disso, os meus olhos me ditam a minha realidade, portanto o que eu vejo, por mais distorcido que seja, é real para mim.

Então o primeiro passo é reconhecer que esta é a sua visão da vida e isso pode ser transformado. Não importa o quão imerso você esteja nessa realidade dolorosa e difícil, você pode sair dela, assim como eu consegui sair. O segundo passo é exercer diariamente a auto responsabilidade. Isso significa sair do papel de vítima e se colocar na postura de um observador, analisando a si mesmo, buscando compreender o que em você ressoa e permite que tais situações ruins aconteçam. Então na próxima vez que algo ruim lhe acontecer, ao invés de ficar triste e frustrado, sentindo-se a vítima da situação; analise a si mesmo e perceba o que você pode aprender com isso, o que essa situação quer lhe mostrar.

Por exemplo, se de forma recorrente as pessoas se aproveitam de você, ao invés de se manter triste por isso, perceba que a situação está lhe pedindo para impor limites e ser mais firme.

Por exemplo, se todos ao seu redor são interesseiros, ao invés de se manter frustrado e irritado com o ser humano, perceba em você quais coisas tem feito apenas por interesse.

A vida está o tempo todo, de forma persistente e gentil, nos mostrando quem somos através dos outros. É difícil ver e aceitar a nós mesmos, por isso, nós temos a grande oportunidade de nos reconhecer através dos outros.

Hoje sou rodeada de pessoas incríveis, que realmente amam sem nenhum interesse por isto, que realmente querem o bem de todos, que acreditam na abundância do universo. E sabe o que é mais bonito? Eu me tornei uma pessoa assim também! O que é lógico, pois nós atraímos sempre mais do que emanamos, do que somos.

Neste vídeo eu abordo exatamente sobre este assunto, você pode assistir quando quiser.

Acredite, há um mundo belo, lindo, incrível, abundante, feliz, descomplicado, fácil, leve, e todas as coisas maravilhosas que você sempre quis! O melhor de tudo é que este mundo está bem aqui, diante de você, e você pode tê-lo quando sentir-se pronto! Basta abrir mão das crenças que estão te limitando e se permitir reconhecer nas coisas externas que acontecem a você.

Que a luz e o amor te guiem na sua jornada!

Com carinho,
Angélica Lemos Azambuja,
Terapeuta Holística & Taróloga.

Amor · Auto Conhecimento · Holístico · Iluminação · Relacionamentos · Salvação

Sobre Nossa Criança Ferida – Ana Tereza Camasmie

Nosso desenvolvimento emocional não acontece no mesmo tempo que nosso desenvolvimento intelectual. Podemos assim ser muito “adultos” quanto aos compromissos concretos de nossas vidas, mas o modo como lidamos com as adversidades pode ser muito distante, defasado, e até incoerente diante de tantos conhecimentos que já conquistamos. É como se estivéssemos estacionados em alguns pedidos lá de quando éramos crianças, e que secretamente ainda aguardássemos alguém vir supri-los. E é tão secreto, antigo, que nem percebemos mais sua presença. Ficamos tão surdos a estes pedidos, porque o tempo da vida solicita nossa ação, que já nem identificamos que nossos sofrimentos muitas vezes nascem deles.

O modo como essa carência se manifesta só se torna visível para os outros, e na nossa imensa cegueira, ficamos reativos: seja na rebeldia constante, seja na vitimação, na autossuficiência ou na indiferença. A questão é que nossa reatividade atrai a reatividade do outro, e assim, a criança de cá convida a criança do outro, e nos vemos em situações de difícil solução.

Queremos que algum adulto venha resolver o que “estamos crianças” para lidar. Por isso queremos que os entes queridos “tomem partido”, sejam juízes, que haja punição e premiação, que haja o culpado e o inocente, e assim, dissensões familiares e/ou profissionais vão tomando dimensões desproporcionais aos fatos que seriam tão simples de resolver.

Adultos acolhem, adultos administram, adultos criam estratégias de ação, adultos relevam e tem visão de alcance.

Crianças querem ser acolhidas, sentem-se rejeitadas, ficam assustadas com o tamanho dos problemas, não vêem saídas, crianças não cedem porque não querem perder, e sua visão ainda se restringe somente ao imediato. Onde Costumamos habitar quando as crises chegam?

Fixarmo-nos em comportamentos de criança é considerar que nossa alma ainda não tem força o suficiente para se apropriar da vida adulta e, portanto, nos recusamos a empunhar os movimentos necessários que a vida, e até nós mesmos, esperamos de nós. Já que não somos nós quem tem de agir, fazemos muitas cobranças veladas ou não, a respeito do comportamento dos outros. Não raro, tornamo-nos tão exigentes que o amor dos outros não consegue nos alcançar, pois só autorizamos o afeto chegar se for do jeito como desejamos. Jeito esse que não se atualizou no tempo e tomou uma forma cristalizada, detalhada e tão especifica, que adulto nenhum consegue adivinhar. É preciso nos libertar de tantas exigências…

E para tal, o primeiro passo é estancar a exigência para com os outros e refletir um pouco, sozinho.

É que estas expectativas que queríamos que tivessem sido atendidas durante a nossa infância, agora precisam da nossa atenção, do nosso olhar. É como se agora, já adultos, fortalecidos, pudéssemos olhar para nós mesmos e dizer: “antes eu não pude, mas agora eu posso ver você”, “eu estou aqui para você”, “o que você quer de mim?” o que eu posso fazer por você?”

E quando isto for possível pra nós, essa exigência tenderá a diminuir, pois este cuidado consigo mesmo traz saciedade emocional, asserena o desespero de ser visto, ouvido, atendido, e a paz no coração já pode chegar.

Autor: Ana Tereza Camasmie

▫️▫️▫️▫️▫️▫️▫️

Compartilho, com carinho,
Angélica Lemos Azambuja,
Terapeuta Holística & Taróloga.

Auto Conhecimento · Iluminação · Oráculos · Salvação · Tarot

O caminho da Salvação Direta: Iluminação e Auto Conhecimento

“O Tarô e todas as ciências ocultas são em certo sentido revolucionários, porque nos ensinam a salvação direta, nesta vida, através de nossos próprios esforços.”
Trecho do livro 78 Graus de Sabedoria, de Rachel Pollak.

Vivemos um período onde era necessário se apegar a algo para ser Salvo de si mesmo, de seus erros e problemas. Esse algo geralmente era superior à nós, muito mais perfeito e consciente, que havia salvado a si mesmo ou recebido salvação com alguma ajuda.

Estamos sempre evoluindo, e chegamos no estágio da evolução e expansão da consciência onde somos capazes de arcar com as responsabilidades do que fazemos e do que somos. Portanto, somos neste momento capazes de salvar a nós próprios de nós mesmos. Como? Através do conhecer a si mesmo, de se entender e se aceitar, para finalmente conseguir se modificar de forma natural e permanente.

Mudanças rápidas e intensas costumam ser causadas por questões externas, pressão, necessidade urgente; e tendem a ser passageiras. Logo voltamos ao que éramos e sempre fomos. Mudanças genuínas acontecem de dentro para fora, quando se solidificam no nosso interior, finalmente se exteriorizam para o mundo.

Chegamos em um momento gracioso, onde temos maturidade suficiente para trilhar nossos caminhos de forma consciente, mas isto só acontece conforme nos permitimos conhecer e entender. Ainda temos a permissão de pedir ajuda e sermos orientados sempre que necessário, para isto temos o Tarô e tantas outras ferramentas maravilhosas! Porém, mesmo assim a responsabilidade passa a ser nossa.

Quanto mais estudo mais percebo o quanto Salvação está diretamente ligado com  o Auto Conhecimento!

Com carinho,
Angélica Lemos Azambuja,
Terapeuta Holística & Taróloga.