Amor · Auto Conhecimento · Relacionamentos

Relacionamentos. Hoje eu me permito.

Antigamente eu era muito insegura nas relações, meu maior medo era a outra pessoa não estar tão disponível quanto eu estava e principalmente, me trair. E nesse caso, traição seria desvalorizar toda a confiança que depositei nela… O que também é chamado de falsidade.

Obviamente que neste estado não era possível me relacionar verdadeiramente.

Hoje minha visão é diferente. Entendo que todos dão o seu melhor, sempre. E mesmo quando alguém faz algo que me fere, esta pessoa está dando o seu melhor. Além disso, o que o outro faz diz respeito a ele mesmo, e não sobre mim. Portanto, se eu me abrir para uma pessoa e ela usar isto negativamente de alguma forma, este foi o melhor que ela pôde dar naquele momento, e diz somente respeito a própria pessoa. Aí entra também a questão da compaixão.

Obviamente não prosseguirei a relação da mesma forma.

O essencial, que me libertou e fez eu me permitir relacionar verdadeiramente, foi entender que nada é pessoal. Mesmo quando a pessoa deseja “se vingar de mim”, esse desejo de vingança existe primordialmente para buscar o equilíbrio da própria pessoa. Nada, nunca, é realmente pessoal sobre a minha pessoa. Eu não fico mais ofendida e não levo para o lado pessoal, por mais que o outro ache que é algo exclusivamente pessoal comigo. A única coisa realmente pessoal que temos, é com nós mesmos.

Por isso hoje eu me permito verdadeiramente relacionar com as pessoas. Me permito dar o meu melhor abraço, mesmo correndo o risco de receber um não ou um abraço seco. E continuo, sempre, lembrando que todos dão o seu melhor e nada é “pessoal”. Se o outro não quis me abraçar, são questões dele que eu nunca conseguirei entender, apenas preciso acolher e respeitar. Mas eu não preciso aprisionar quem eu realmente sou, pelo medo de ser rejeitada. Pois não rejeitam a mim. Rejeitam a si mesmos. Quando alguém me nega um abraço, essa pessoa nega a si mesma a se permitir abraçar.

Reflita sobre isso e quem sabe, se permita ser quem você realmente É. E ser quem você é, pode ser dizer um não, se distanciar de algumas pessoas, mostrar o seu valor. Assim como pode ser dizer um sim, se permitir aproximar e ser mais íntimo, perceber o valor do outro.

Com carinho,
Angélica Lemos Azambuja,
Terapeuta Holística & Taróloga.